Fraturas no Joelho e Fêmur: Como funciona a recuperação

fraturas no joelho e fêmur
Saiba como acelerar a recuperação de fraturas no joelho e femur com cuidados e equipamentos especiais.

O joelho é uma articulação bastante acometida por rupturas dos ossos que o compõe, como a tíbia, o fêmur, a fíbula e a patela. Essas fraturas geralmente acontecem quando existe uma força muito grande comprimindo essa articulação.

No caso de uma fratura no fêmur, por exemplo, é necessário um grande impacto, como um acidente de trânsito ou a queda de um lugar alto, para que o osso da coxa se quebre e cause a lesão.

Os tratamentos em articulações tendem a serem mais complexos e delicados, e por isso é crucial buscar atendimento ortopédico imediato para identificar as lesões, estimar a gravidade e determinar o tratamento do mesmo, seja este cirúrgico ou não.

Tipos de fraturas no joelho e fêmur

Nos joelhos, os tipos de fraturas mais comuns são na patela, nos côndilos femorais, no plato tibial, eminência intercondilar da tíbia e na tuberosidade da tíbia.

Essas fraturas no joelho e fêmur raramente podem ser resolvidas de forma não-cirúrgica, ou seja, utilizando a imobilização gessada. A maior parte das fraturas do joelho necessita de tratamento cirúrgico.

No fêmur, dependendo do local onde o osso foi quebrado, suas causas e tratamento são diferentes. As fraturas no corpo do fêmur acontecem na região central do osso e é mais comum em acidentes e quedas.

Já nas fraturas no colo do fêmur acontecem na região que se liga ao quadril e é muito comum em pessoas mais idosas devido à osteoporose: com o osso enfraquecido, qualquer queda ou torção de perna poderia ocasionar essa ruptura.

Como funciona a recuperação não-cirúrgica

Algumas fraturas no joelho e fêmur mais simples podem ser tratadas com a imobilização por gesso ou tala ortopédica durante o período estimado pelo médico ortopedista e fisioterapeuta.

Alguns cuidados auxiliares para que o paciente não faça força e acabe pressionando as articulações já lesionadas são extremamente importantes, como repouso em camas hospitalares para que a perna esteja sempre levantada.

O uso de auxiliares de marcha e outros acessórios básicos de cuidado e recuperação de fraturas no joelho e fêmur também influenciam na melhora do usuário: o paciente pode utilizar muletas, andadores e cadeiras de banho, por exemplo, para que este possa manter sua independência, segurança e agilidade sem abrir mão do conforto e da qualidade da recuperação.

Aliando estes cuidados e equipamentos ao tratamento adequado com o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios receitados pelos médicos, a melhora do paciente não só será agilizada, mas também terá melhores resultados, já que estamos falando de uma parte extremamente delicada do corpo.

Como funciona a recuperação do pós-operatório

A recuperação cirúrgica de fraturas no joelho e fêmur geralmente é bem prolongada, visto que é uma área bastante delicada e carente de cuidados específicos.

Entretanto, o tempo para a recuperação total varia dependendo do tipo da lesão, idade do paciente, gravidade e presença de doenças associadas, como diabetes ou hemofilia.

É importante que o paciente comece as sessões de fisioterapia o mais breve possível, pois aliando essas práticas ao trabalho do ortopedista, o paciente poderá gradualmente retomar suas atividades cotidianas dentro das possibilidades que a fratura dispõe.

Por isso, também é fundamental que o paciente, enquanto acamado, receba as instruções de utilização dos acessórios essenciais para a sua melhora. O uso das camas hospitalares, graças às suas possibilidades de movimento, permitem que as pernas fiquem imobilizadas e elevadas, o que acelera consideravelmente a recuperação de fraturas no joelho e fêmur.

Além disso, a utilização da cadeira de rodas também é muito comum nesses casos, visto que o equipamento assegura a agilidade, independência e conforto do paciente. No caso da fratura no fêmur, é recomendado o uso de cadeira de rodas com elevações, pois permitem que a perna fique esticada.

As cadeiras de banho, também chamadas de cadeiras higiênicas, podem ser utilizadas para que o paciente, sobretudo idosos, possam se manter higienizados e utilizar o banheiro com segurança, conforto e mais autonomia.

Outros cuidados secundários, mas igualmente importantes, são: manter uma alimentação saudável e uma rotina de sono equilibrada, evitar o consumo de bebidas alcóolicas e cigarro e praticar atividade física regularmente. Essas ações não só aceleram a recuperação de fraturas no joelho e fêmur, mas também as evitam, visto que exercitam as articulações, tecidos e ossos.

No caso de pessoas idosas, o ideal é manter as atividades regulares como caminhadas, utilizar barras de ferros nos banheiros para evitar fraturas no joelho e fêmur, ou até mesmo conversar com seu ortopedista sobre a possibilidade de usar um auxiliar de marcha.

Onde alugar um auxiliar de marcha em Belém?

Aos residentes de Belém do Pará e região metropolitana, LocaHospitalar tem diversos equipamentos hospitalares para locação, permitindo seu uso temporário apenas enquanto for necessário.

Alugar muletas, bengalas, andadores, cadeiras de rodas e camas hospitalares diretamente em nosso site de forma 100% digital, sem sair de casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.